domingo, 2 de novembro de 2008

Os filmes nacionais e eu

Sempre fui muito crítico em relação a filmes nacionais, os palavrões e a pornografia que são usados indiscriminadamente pelos diretores brasileiros sempre me incomodaram, me fazendo não gostar realmente de filmes feitos aqui no Brasil.
Meus amigos sempre me criticavam por isso, diziam que é preciso prestigiar as produções daqui e não os ditos "enlatados" americanos. Para tentar me livrar do rótulo de preconceituoso eu tentei... Mas não conseguia ver em filmes como "Cidade de Deus" ou "Carandiru" nenhum tipo de recado legal, eles não conseguiam me prender.
Tentei assistir algo diferente, fui até ver uma comédia. Peguei o meu dinheiro e vi "Casa da mãe Joana", ô se arrependimento matasse!
Roteiro sem nexo, se graça, sem tudo!
E assim eu continuei odiando filmes nacionais.
Até hoje.
Confesso que quando me chamaram para assistir "Última parada 174", não tinha me caído a ficha de que era um filme nacional. Eu estava a fim de assistir um filme e qualquer um que viesse estaria de bom tamanho. Só vi que era brasileiro mesmo, quando eu cheguei ao cinema. Congelei. As minhas últimas tentativas não tinham sido muito proveitosas, não seria agora que a minha opinião iria mudar! Entrei no cinema falando horrores, morrendo de raiva por ter sido trago às cegas para assistir um filme nacional.
Mas eu tenho que confessar que eu queimei a língua.
O filme tem tudo que eu sempre detestei em filmes nacionais, palavrões, pornografia, violência... Mas há muito tempo que eu não vejo um filme com uma carga emocional tão grande.
É duro ver as histórias de dois meninos com o nome igual e com a mesma idade, que crescem em duas situações complicadíssimas e que se entrelaçam e terminam em uma trágica tragédia. O filme contou muito bem o drama das crianças que são jogadas pela vida no crime, moldando o seu caráter com a sujeira e a vermelhidão de sangue inocente.
Continuo achando que para se ter um bom filme não é necessário mostrar miséria, ou apelar para a sensualidade, mas eu tenho que confessar que a "Última parada 174" me fez ainda acreditar no cinema nacional e me fez entrar na torcida para que ele concorra ao Oscar e quem sabe até, que ele vença!
Abaixo está o trailer do filme. Vale a pena ;D


13 comentários:

Patricia disse...

Ah, mas existem filmes brasileiros e filmes brasileiros... Dos nacionais acho legal Se Eu Fosse Vc, Tropa de Elite, Fica Comigo Esta Noite, O Auto da Compadecida...

Vi seu blog na comu do Orkut e vim conferir!
Gostei!=)
Passa lá no meu blog tb:
http://blogdapattyandrea.blogspot.com

Karla Nazareth disse...

hmm, não sei. verei e volto aqui outro dia [=

Calango disse...

Krai...

eu fiquei com vontade de assistir agora...



já q vc num gosta de palavrão...

o q vc axou de
"o auto da compadecida"
"O homem q desafiou o diabo"
"O homem que copiava"

eu axo que são bons filmes...

Nerd disse...

Nossa concordo plenamente com vc...ah maioria dos filmes só existem palavrões, pornografia , drogas e tais....tem uns bons filmes masaxu q eles exageram em algumas partes...num sei o cinema nacional ainda tem muito o q aprender...mas deu vontade de ver este filme q vc itou parece massa abçs

flw

Michell Niero disse...

Acho que já é tempo de derrubar o mito de que o cinema brasileiro se resume a palavrão, pornografia e miséria. Nós tmeos uma das produções mais importantes da cinematografia mundial e isso é fato.

O problema é que poucos têm a cultura de assistir filmes em preto e branco, produzidos nos anos 50/60. Mas aí está a nossa época de ouro, com cineastas como Gláuber Rocha, Rogério Sganzerla, Nelson Pereira dos Santos e Water Hugo Khouri.

blog disse...

Há grandes produções nacionais, como "Macunaíma", "Sem Essa Aranha", "Das Tripas Coração", "Pixote" e "Bye Bye Brasil". Filmões. Há coisas novas, como "O Cheiro do Ralo" e "Cidade de Deus", que são muito bons, mas o preconceito existe. No seu caso, é conceito.

Eu gosto de filmes porque são bons não porque sejam nacionais ou estrangeiros.
Mas o que vc disse, em alguns casos, faz sentido.
Abraço.

Fernando Gomes disse...

Acredito que o cinema nacional ainda está muito atrelado aos folhetins televisivos e por isso não conseguimos vê-los com outros olhos. Sem dúvida tem muito ainda para evoluir.

Ainda não vi o filme que você indicou, talvez eu coloque ele na minha lista.

Michel Domenech disse...

Cara, muito bom o texto!
Eu penso assim, que só porque uma coisa é feita no páis onde eu nasci não quer dizer que eu tenha que gostar ou prestigiar aquilo, foi mero acaso eu ter nascido aqui, devo me dedicar ao que eu julgar bom e digno de ser ver. MAs já vi alguns filmes nacionais interessantes, embora não tenham sido muitos. E é verdade, a violâncio o sexo e a miséria normalmente estão presentes.

Euzer Lopes disse...

A Patrícia citou alguns filmes excelentes do cinema nacional.
Eu coloco outros, como Bezerra de Menezes, Chega de Saudade e o fantástico O signo da cidade.
Tem também Ó paí Ó, Brasília 18%, Meu nome não é Johnny. Enfim. E todos são muito bons.

mundointeressante disse...

eu tbm nunca gostei de filmes nacionais...

só de tropa de elite e dois filhos de francisco
ótimo blog =)

Truanescos disse...

Charles,

Eu concordo com sua critica à filmes nacionais. Mas não contenho esse ódio pelos mesmos. Filmes nacionais são um balde cheio de palavrões e sexo. Mas eu gosto de ver nos filmes nacionais(pelomenos uns que eu assisto) a otima apresentação dos atores brasileiros.
Só recomendo um pra vc assistir. Chama-se "O supermercado que vende palavras". Filme que a professora de Antropologia do 2º semestre passou na sala da galera de desenho,que eu parei de fazer uma prova para assistir.
Abraços
Nery

Dono do Bar disse...

Confesso que as melhores comédias que eu já vi eram de filmes brasileiros. Recomendo "A Partilha". Muito bom o filme, e uma comédia daquelas que vc rir do começo ao sim.

Vou ver "A última parada do 174". Lendo vc, q odeia filme brasileiro, falar que o filme é bom, a vontade até aumentou

flw

Ariana Luz disse...

É, eu também sou chata com filmes nacionais. Mas alguns conseguem prender minha atenção.
Agora sobre palavrões, acho que todos os filmes tem. Só que em algumas dublagens eles são trocados (coisa que me revolta também é a dublagem porca que fazem em alguns filmes internacionais).
Gostei do post.
Beijos